ANDROCLINIC
INFORMAÇÃO SOBRE SAÚDE MASCULINA

Cancro da próstata

Apesar da causa para o aparecimento desta doença ser ainda desconhecida, diversos factores são apontados como podendo estar na sua origem, nomeadamente factores genéticos e factores ambien-tais. Sobre os primeiros existe evidencia da tendência familiar de alguns casos, sabendo-se que o filho de um homem que tenha tido cancro tido cancro da próstata tem 5 vezes mais possibilidade de vir a desenvolver a doença. Sobre os factores ambientais sabe-se que as gorduras saturadas e a ingestão de elevadas quantidades de proteínas podem contribuir para este tumor. Ao contrário, o selénio, a vitamina E e, sobretudo, o licopeno, produto existente no tomate cozinhado, parecem proteger ou prevenir o desenvolvimento do cancro da próstata, quando ingeridos de forma prolongada.

A idade avançada é um factor de risco comprovado para este tumor, sendo um cancro raro em idades inferiores a 45 anos, excepto quando existem fatores genéticos familiares. A grande maioria dos doentes com esta neoplasia tem idade superior a 60 anos.

O cancro da próstata não causa qualquer sintoma ou queixa nas fases iniciais. A maior parte dos casos são diagnosticados em exames de rotina, nomeadamente com um PSA elevado (ver caixa ao lado).

O tratamento do cancro da próstata é diferente consoante se trata uma doença localizada ao órgão, ou se já existe disseminação do tumor para fora da próstata, isto é, se estamos em presença de doença avançada. Na doença localizada os tratamentos podem ser a cirurgia radical, a braquiterapia ou a radioterapia externa. Quando o tumor já está desseminado para fora da próstata, o tratamento de eleição é a hormonoterapia ou, mais raramente, a quimioterapia.

Como se diagnostica

São 3 os métodos cuja interpre-tação conjunta permite o diagnóstico do cancro da próstata em fase precoce:

- PSA (Prostatic Specific Antigen), uma análise ao sangue que, se estiver elevada, pode fazer suspeitar de cancro da próstata. Apesar de existirem outras situações que fazem subir o PSA, como a inflamação da próstata ou um grande volume do órgão, se o valor é elevado deve-se sempre efetuar uma avaliação complementar rigorosa.

- Ecografia transrectal da próstata que pode detetar uma zona suspeita, geralmente um nódulo, às vezes uma zona heterogénea periférica.

- Biopsia da próstata, o único exame que permite o diagnóstico definitivo de tumor maligno da próstata. Deve ser efectuada com controle ecográfico, por via transrectal e com anestesia local.

DOENÇAS DA PRÓSTATA

O cancro da próstata é o tumor maligno mais frequente nos homens e a segunda causa de morte por cancro, logo a seguir ao cancro do pulmão. Em Portugal, surgem 3.500 a 4.000 os novos casos em cada ano. Um em cada nove portugueses sofre, ou virá um dia a sofrer, de cancro da próstata. Por ano morrem cerca de 1.800 portugueses devido a este tumor.